Cheque especial: o que acontece se não pagá-lo?


A falta de planejamento financeiro pode fazer com que as pessoas recorram aos empréstimos. Um dos mais procurados no Brasil é o cheque especial.

Muitas pessoas utilizam essa modalidade por estar disponível através da conta bancária, mas nem todo mundo sabe como essa linha de crédito funciona.

Nesse post nós vamos explicar como o cheque especial funciona e quais são as consequências de não pagar as parcelas em dia.

Como funciona o cheque especial?

Trata-se de uma linha de crédito que é disponibilizadas pelos bancos através da conta corrente. É muito comum chamá-lo de limite, pois o valor aparece juntamente com o saldo que o cliente já tem.

Esse valor pode surgir com ou sem a aprovação do cliente.

Basicamente, se o cliente utilizar mais do que o seu saldo disponível, significa que entrou no cheque especial. Por exemplo: o correntista tem um saldo de R$ 500 e mais 200 de limite especial, mas gastou R$ 550. Isso significa que esse usuário utilizou R$ 50 do crédito.

Por ser considerado um empréstimo, esse valor possui taxas de juros, que costumam ser altas. O cliente precisa cobrir esse valor dentro do prazo estipulado se quiser evitar um grande comprometimento na renda.

Quais são os juros cobrados pelos bancos?

A verdade é que para os bancos é um ótimo negócio que o cliente use o cheque especial. Quanto mais utiliza, mais as instituições financeiras aumentam o limite.

De acordo com o Banco Central, as taxas de juros podem chegar a 151,8% ao ano. Não é possível ultrapassar essa taxa, pois em 2019 o BC passou a impedir que os bancos cobrassem mais que 8% ao mês ou 151,8% ao ano.

Cada banco possui sua própria taxa, que pode ser superior às taxas cobradas no empréstimo pessoal. O valor cobrado é variável, pois vai de acordo com o relacionamento entre o cliente e a instituição financeira.

Quais os riscos de não pagar o cheque especial?

Além das altas taxas de juros, existem outras desvantagens em não pagar o cheque especial. Uma delas é ter o nome negativado, que é comum em qualquer outra linha de crédito disponível.

Outro ponto negativo é que o consumidor passa a ter problemas para conseguir novos empréstimos ou até mesmo aquisição de bens. O cliente passa a ter restrições em seu CPF, que afeta até mesmo a possibilidade de um financiamento.

Mas além dessas questões há também o estresse gerado por ter uma dívida com juros tão altos. Por isso, o ideal é analisar muito bem as condições antes de usar o cheque especial.

Quer saber mais sobre esse tema? Acesse o nosso blog e leia mais conteúdos.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.